Translate

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Prefeitura transforma Trem do Samba em BRT e acaba com percurso histórico de Paulo da Portela

Redação SRzd
Após 21 edições, o Trem do Samba deixará de acontecer no Rio de Janeiro. A prefeitura da cidade decidiu trocar o meio de transporte do evento e transformou a festa em “BRT do Samba”. Com a mudança, Crivella e companhia acabaram com o percurso tradicional da comemoração, Central-Madureira, trajeto percorrido por sambistas históricos como Paulo da Portela na década de 20.
Um dos organizadores do evento, o cantor Marquinhos de Oswaldo Cruz lamentou a decisão em rede social e ressaltou a importância do trajeto feito pelo trem para relembrar a força e a resistência do samba ao longo dos anos.
“Hoje venho dizer com muita dor que não terenos o nosso Trem do Samba esse ano. Trem do Samba que, recriando a viagem de resistência de Paulo da Portela, que burlava a repressão policial na década de 20, fez o Brasil comemorar o Dia Nacional do Samba em 2 de dezembro”, escreveu o sambista em rede social.
O caminho Central do Brasil-Madureira/Oswaldo Cruz era o trajeto que muitos sambistas, moradores do subúrbio, realizavam diariamente para ganhar a vida no Rio de Janeiro e fugir da repressão policial na época em que o ritmo era marginalizado em terras cariocas.
A Supervia informou por meio de nota que “lamenta o cancelamento da edição do Trem do Samba de 2019, tradicional evento carioca, que há anos era realizado em comemoração ao Dia Nacional do Samba, sempre no mês de dezembro e que se colocou à disposição para receber a celebração, como de costume, e que a decisão de não realizar esta edição coube exclusivamente aos organizadores”.
Em rede social, o ex-prefeito Eduardo Paes, folião assumido, criticou a atitude de Marcelo Crivella: “Mais uma do bispo. Tudo passa. Ele também passará!”.
A nova comemoração do Dia Nacional do Samba será no BRT. Marcado para este sábado (30), o transporte sairá do Terminal em Madureira em direção ao Terminal Alvorada, na Barra da Tijuca.
O evento começa na Zona Norte, às 10h, com Feira de Artesanato. A programação segue com roda de samba e homenagem a Noca da Portela, Zé Luiz do Império e Dorina.

Fonte: www.srzd.com

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Presidente da Lierj apela ao governo do estado por escolas da Série A: ‘não nos deixarão desamparados’

Por Guilherme Ayupp
O presidente da Lierj, Wallace Palhares, disse ao site CARNAVALESCO que são boas as chances de os desfiles da Série A, na sexta e sábado de carnaval, receberem pelo sétimo ano seguido transmissão da TV Globo. Sem confirmar o acerto, nem dar maiores detalhes, ele afirma que está em tratativas avançadas com a emissora.
“A parceria é boa quando é para os dois lados. A gente vem tendo conversas para fazer alguns ajustes. Será mais um ano de transmissão campeão de audiência, não tenho dúvida. Além disso, o CD estará na rua e nas plataformas digitais em dezembro”, disse Palhares.
O presidente da liga responsável pela gestão do principal grupo de acesso do carnaval carioca destacou como positiva a festa do CD da Série A aberta ao público na quadra da Portela.
“Valorizamos essa abertura ao público. Nos afastamos demais do povo do Rio. Somos mundialmente conhecidos pelo carnaval, essa cultura é nossa. Vamos fazer mais vezes eventos assim”, opinou.
Wallace respondeu com otimismo à indagação de nossa reportagem acerca da subvenção para os desfiles de 2020. Sem fazer qualquer tipo de confirmação, disse ao CARNAVALESCO que acredita que o governo do estado não deixará as escolas desamparadas.
“Tanto o governador quanto o secretário Ruan Lira tem sido muito parceiros nossos, eles não fazem promessas, mas eu acredito que virá coisa boa por aí. Não acredito que eles nos deixem desamparados”.

Portela promove encontro de torcidas organizadas de escolas de samba nesta sexta-feira

'Sextou Portela' terá, ainda, presença do grupo Arquibancada, que vai relembrar clássicos do carnaval 
A Portela vai promover, nesta sexta-feira (29), a partir das 20h, uma grande homenagem às torcidas organizadas de escolas do Grupo Especial, da Série A e do carnaval de São Paulo. O público terá entrada franca até as 23h.
A segunda edição do 'Sextou Portela' será aberta com uma apresentação especial da Majestade do Samba, reunindo passistas, baianas, o intérprete Gilsinho, bateria, a rainha Bianca Monteiro e o casal Marlon Lamar e Lucinha Nobre.
Em seguida, as torcidas presentes vão receber uma homenagem da diretoria da Portela. Todas, na sequência, irão "desfilar" ao som do grupo Arquibancada, que vai relembrar sambas clássicos de diversas agremiações. A recepção dos convidados ficará por conta das torcidas organizadas da Portela: Guerreiros da Águia, Amigos da Águia, Sangue Azul e Nação Portelense.

Serviço:
Sextou Portela - Encontro das torcidas organizadas de escolas de samba
Data: Sexta-feira, 29 de novembro
Horário: A partir das 20h (abertura dos portões)
Local: Quadra da Portela
Endereço: Rua Clara Nunes 81, Madureira
Entrada franca até as 23h. Após: R$ 10
Mesas para quatro pessoas: R$ 30
Camarote inferior (para 15 pessoas): R$ 180
Camarote superior (para 15 pessoas): R$ 250 
Classificação etária: Livre
Informações: (21) 3217-0983

Foto: Leo Cordeiro / Divulgação

Samba de 2020 da Portela será destaque em show temático de Clara Santhana

O samba-enredo da Portela para o Carnaval 2020, "Guajupiá, Terra Sem Males", será um dos destaques do repertório do show "Mantiqueira", que Clara Santhana e Leandro Castilho apresentarão nesta quarta-feira (27), às 19h, no Teatro Firjan SESI, no Centro.
Ela ilumina a ribalta, há seis anos, personificando a inesquecível Clara Nunes no musical "Deixa Clarear". Ele surpreende o público a cada nova montagem da Cia Atores de Laura, da qual é integrante há 17 anos, além de ser um premiado diretor musical.
Além do hino oficial para o próximo carnaval da Portela, escola do coração de Clara Santhana, o roteiro traz canções de autores variados que têm em comum a defesa da natureza, das crenças e da brasilidade. Milton Nascimento, Paulo César Pinheiro e Elomar são alguns dos nomes que serão lembrados. A dupla conta, ainda, com a participação especial do percussionista Éber de Freitas.
A Serra da Mantiqueira estende-se por Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Seu nome vem do tupi Amantikir e uma de suas definições é "Serra que chora", devido à riqueza de fontes e cachoeiras. O local é também um dos elos entre Clara e Leandro, pois as famílias de ambos têm casas na região, frequentada por eles desde a infância e, hoje, refúgio dos dois artistas.
O Teatro Firjan SESI fica na Avenida Graça Aranha, 1, no Centro. O ingresso custa R$ 34 (inteira). A classificação é livre.

Foto: Divulgação
Legenda: Clara e Leandro preparam apresentação recheada de canções que exaltam a natureza e o Brasil