Translate

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Portela recebe visita de alunos de MBA de universidade suíça

A Portela foi escolhida pela Fundação Dom Cabral para receber a visita de alunos de um curso de MBA da renomada Universidade de St. Gallen, na Suíça. Além da ida ao Portelão, o intercâmbio, que fez parte da disciplina Gestão da Mudança, incluiu uma palestra sobre a história e a administração da agremiação para os estudantes.  

A primeira ação aconteceu no dia 28 de novembro, quando o assessor de marketing da Portela, Paulo Renato Vaz, esteve no Campus Rio da Fundação Dom Cabral, em Botafogo, para apresentar aos participantes informações e curiosidades das mais nove décadas de história da azul e branco. O exemplo vitorioso e de transformação da gestão Portela Verdade, a partir de 2014, também foi detalhado na palestra. 

Como parte complementar da experiência em sala, no dia seguinte, a turma fez uma visita ao ensaio de comunidade na quadra, em Madureira. Os participantes foram recebidos pelo presidente da Portela, Luis Carlos Magalhães, pela diretora projetos sociais da escola, a dentista Hellen Mary, e pelo diretor cultural Rogério Rodrigues.  

O grupo, que era formado em sua maioria por executivos de diversos países europeus, teve a oportunidade de acompanhar a dinâmica do ensaio, além de conhecer a ala de deficientes e visitar a exposição sobre a carreira da eterna porta-bandeira Vilma Nascimento, em cartaz na sala do Departamento Cultural.

Responsável pelo intercâmbio, a Fundação Dom Cabral é uma escola de negócios brasileira voltada para a capacitação de executivos, empresários e gestores públicos. Com o convite para o encontro com os estrangeiros, a Portela já contabiliza cinco participações, somente neste ano, em eventos acadêmicos e de empreendedorismo pelo Brasil. Um dos destaques foi a palestra sobre gestão cultural feita por Luis Carlos Magalhães na 69ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o maior congresso de cientistas e inovadores brasileiros, que ocorreu em Belo Horizonte, em julho. Outro momento importante se deu em agosto, com a participação de Luis Carlos no I Seminário do Samba Capixaba, realizado na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).



Turma formada em sua maioria por executivos europeus participou do ensaio, conheceu projeto social e visitou exposição

Crédito da foto: Divulgação
Legenda: Paulo Renato Vaz ministrou palestra para estrangeiros na Fundação Dom Cabral


Agradecimentos especiais
Fundação Dom Cabral (FDC)
Caixa de Auxílio dos Advogados do Rio de Janeiro (Caarj)
Jose Roberto Castro Ciminelli - advogado e membro da ala de compositores da Portela
Zeze Ferreira - professora, supervisora educacional e componente de ala da Portela

Riotur corta 20% do contingente de imprensa no Carnaval 2018

Por Redação SRzd

O trágico Carnaval deste ano na Marquês de Sapucaí, entre o choque, a tristeza e a revolta, gerou uma série de promessas por parte de órgãos públicos e da Liesa para os desfiles de 2018.

Uma delas diz respeito à diminuição de pessoas transitando na pista durante as apresentações. Sendo assim, a Riotur decidiu cortar em 20% o contingente de credenciais destinadas à imprensa nas noites de domingo e segunda-feira, quando se apresentam na Avenida as agremiações do Grupo Especial carioca.

Segundo a entidade, a decisão tem “o objetivo de otimizar o fluxo e tráfego de profissionais na sala de imprensa e nas demais dependências e instalações onde ocorrerá a cobertura jornalística”. Basta saber se o corte será eficiente. Em resumo, se haverá a diminuição não somente de profissionais de imprensa na pista como também dos lendários penetras que atrapalham o desenrolar dos desfiles.

Fonte: www.srzd.com

Portela receberá Grande Rio e Unidos do Viradouro nesta sexta-feira

Por Redação SRzd

Portela receberá nesta sexta-feira (15) integrantes da Grande Rio e da Viradouro, a partir das 22h30, em mais uma edição da série Portela Convida. Sob o comando do intérprete Gilsinho e da bateria Tabajara do Samba, a anfitriã fará um show de abertura com passistas, baianas, compositores, destaque de luxo, Velha Guarda, departamento feminino e a rainha Bianca Monteiro.

Haverá ainda apresentação do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira da Portela, Marlon Lamar e Lucinha Nobre, o segundo, formado por Yurí Souza e Camylinha Nascimento, e o terceiro, que é composto por Emanuel Lima e Rosilane Queiroz. No repertório, o hino oficial do enredo “De Repente de Lá Pra Cá e Dirrepente de Cá Pra Lá…”, além de sambas históricos da escola de Madureira.

Em seguida, a Viradouro tomará conta do palco do Portelão. Campeã em 1997, a escola, que atualmente está na Série A, mostrará clássicos como “Trevas! Luz! A Explosão do Universo” (97), “Orfeu, o Negro do Carnaval” (98), “A Viradouro Canta e Conta Bibi – Uma Homenagem ao Teatro Brasileiro” (2003) e muitos outros. O hino de 2018 também está no roteiro.

Representante de Duque de Caxias no Grupo Especial, a Grande Rio animará o público com sambas como “No Mundo da Lua” (93), “Prestes, o Cavaleiro da Esperança” (98) e “Ivete do rio ao Rio” (2017). O encerramento será com o samba-enredo de 2018, que homenageia o centenário do apresentador Chacrinha.

A quadra da Portela fica na Rua Clara Nunes 81, em Madureira. O ingresso custa R$ 10. Mesas com quatro lugares saem por R$ 60 (já com as entradas incluídas). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (21) 3256-9411.

Serviço:
‘Portela Convida’ com Grande Rio e Viradouro
Data e hora: Sexta-feira, dia 15 de dezembro, a partir das 22h30
Local: Quadra da Portela
Endereço: Rua Clara Nunes 81, Madureira
Ingresso: R$ 10
Mesa com quatro lugares: R$ 60 (entradas já incluídas)
Camarote inferior (com 15 lugares): R$ 250
Camarote superior (com 15 lugares): R$ 350


Fonte: www.srzd.com

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Museu do Samba fecha o ano com 125 depoimentos em acervo de seu Centro de Referência

Por Marquês da Folia

Salve! Salve!


O ano de 2017 está chegando ao fim e o samba pode celebrar uma importante marca no quesito valorização de suas raízes. É que o Museu do Samba, localizado no bairro de Mangueira, na Zona Norte do Rio de Janeiro, chegou a 125 depoimentos gravados em seu projeto de salvaguarda da memória do samba. Ao longo deste ano, dez destes registros foram viabilizados a partir do projeto “Memória das Matrizes do Samba do Rio de Janeiro”, que faz parte do Programa Territórios Culturais RJ/Favela Criativa, da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, em parceria com a Light e a Agência Nacional de Energia Elétrica.

Entre as personalidades que deixaram seus registros para o acervo do Museu do Samba está a cantora Leci Brandão. “A memória do samba é a memória do povo brasileiro e, por isso, é uma honra fazer parte deste projeto”, declarou a sambista. Os outros entrevistados foram os intérpretes Rico Medeiros (do Salgueiro, entre fins de 1970 e início dos aos 1990) Ito Melodia (atual União da Ilha do Governador); Tia Suluca, presidente de honra da ala das baianas da Estação Primeira de Mangueira; Estandília, porta-bandeira do Salgueiro nas décadas de 1960 e 1970; Gigi da Mangueira, passista que brilhou nos desfiles entre 1961 e 1983; Irene Nota 15, porta-bandeira da Portela na década de 1970;  Nãnãna da Mangueira, primeira rainha de bateria da história da Mangueira; Raul Cuquejo, há 24 anos diretor da ala das baianas da Imperatriz Leopoldinense; e Mary Marinho, passista do Salgueiro que formava o trio conhecido como “Irmãs Marinho”, nos anos 1960 e 1970.

Os depoimentos foram gravados em vídeo, com a condução de dois jornalistas e pesquisadores do museu, em sessões gratuitas e abertas ao público em geral. Os entrevistados são sambistas cujas histórias têm sido determinantes para a valorização, preservação e difusão do samba e da cultura das escolas de samba do Rio de Janeiro. Eles contam histórias, curiosidades e falam de suas trajetórias no Carnaval e no cotidiano de suas escolas do coração. Todas as gravações estão disponíveis para consulta do público e têm sido fonte para pesquisadores, acadêmicos, jornalistas e escritores.

“Achei a ideia dos depoimentos excelente, pois deixa para a posteridade a história do samba e de todos aqueles que estiveram envolvidos com ele, mesmo os que já estavam esquecidos. Fica um lugar perpetuado na história e isso nos deixa muito honrados, porque não passamos apenas, mas deixamos algo que foi reconhecido como nossa arte, nossa dança, nossa cultura.  Nosso nomes ficam gravados neste lugar que é o Museu do Samba”, declarou Irene Nota 15.

“O Museu do Samba tem conseguido criar uma documentação com histórias e personagens que passaram ao largo da historiografia oficial. Isto possibilita que gerações futuras tenham acesso à história do samba contada por seus próprios protagonistas, a partir de uma fonte que permite que as vozes e os olhares destes sambistas apareçam e sejam valorizados”, afirma a pesquisadora Desirrée Reis, gerente técnica e coordenadora do Centro de Referência do Samba do Museu do Samba.

Liesb assina essa semana contrato com a Prefeitura do Rio e apresenta regulamento de 2018

Por Eduardo Fonseca e Allan Duffes

Neste domingo, aconteceu na Piscina do Bangu, Zona Oeste do Rio, o lançamento do CD das escolas que desfilam na Intendente Magalhães. O desfile que é organizado pela Liesb teve a presença das escolas das Séries B, C e D. A reportem do site CARNAVALESCO conversou com o presidente da entidade. Gustavo Barros falou da verba da Prefeitura do Rio para o Carnaval de 2018, organização dos desfiles e do regulamento para o ano que vem.


O presidente informou que houve uma reunião com na Riotur na semana passada e que até o fim da semana o contrato para o repasse de verbas será assinado.
– Acredito que esta semana o contrato esteja assinado. A princípio receberemos 50% da verba que recebemos em 2017 – disse Gustavo Barros.

Segundo o dirigente, o restante da verba virá da captação de recursos da iniciativa privada, mas é importante lembrar que o montante poderá vir até mesmo depois do carnaval 2018 ou não vir.
– Em relação ao apoio da iniciativa privada há uma incerteza. Pode conseguir ou não. Pode ser até que venha após o carnaval – explicou.

Estrutura da passarela da Intendente Magalhães
Gustavo Barros também abordou o processo de montagem na Intendente. Segundo o presidente, a estrutura está 100% garantida para o carnaval.
– Será bancada integralmente pela iniciativa privada. Teremos melhorias na estrutura em relação ao carnaval passado.

Regulamento para o Carnaval 2018
O presidente da Liesb explicou como ficaram as regra para os desfiles de 2018. De acordo com o presidente, não tiveram grandes mudanças de 2017 para 2018.
– O regulamento foi mantido. Mudamos apenas o tempo e o número de alegorias no grupo B – destacou Gustavo.

Veja abaixo detalhes do regulamento para 2018:
Acesso
Subirá uma escola da Série B para a Série A. Sobem 3 escolas para o B vindas do C, e 3 escolas do grupo D para o grupo C.


Rebaixamento
Irão cair 3 escolas da Série B para a Série C. Haverá o rebaixamento de 4 escolas do grupo C para o D e 5 agremiações do grupo D para o grupo E.


Tempo de desfile
Mínimo: 35 minutos para todos os grupos da Liesb. Máximo: 45 minutos na Série B e 40 minutos nas Séries C e D.


Alegorias:
1 a 3 alegorias no C e D
2 a 4 no B podendo ser tripé ou alegoria.


Déo Pessoa, presidente da Lierj: ‘A gente vai levar esse Carnaval na força e na coragem’

Por Redação SRzd

Não tá nada fácil botar um Carnaval na rua em 2018, que dirá para as agremiações da Série A da Lierj. Tem carnavalesco fazendo mágica pra terminar o trabalho, enquanto outra escola reaproveita materiais para conter gastos. Em meio ao ‘corre-corre’ de dezembro e janeiro, uma única certeza: vai ser um Carnaval de superação e, segundo o presidente da Lierj, Déo Pessoa, será na força e na coragem: “A gente vai levar esse Carnaval na força e na coragem e vamos fazer de tudo pra não perder o ritmo e não deixar o ritmo cair”.

Em conversa com o SRzd, Déo demonstrou confiança nos trabalhos das agremiações para o Carnaval 2018 e, apesar dos problemas, acredita que não deixarão a desejar em relação aos anos anteriores. Inclusive, o martelo já foi batido em relação às mudanças no regulamento: rebaixamento de uma agremiação; ascensão de uma; mantém-se o número de alegorias; proibição dos tripés.

Entretanto, para o Carnaval 2019 a situação pode ficar ainda pior. Como informado pelo vereador Reimont e divulgado pelo SRzd, a verba prevista para o Carnaval 2019 diminuiu drasticamente.  Antenado a isso e à crise que atinge o Brasil, Déo já planeja a festa do ano posterior a 2018: “Tão logo que passar esse Carnaval, nós vamos nos reunir para 2019. Porque parece que provavelmente esse corte e essa crise vão permanecer. E a gente tem observado que o orçamento financeiro para o próximo ano voltado para o Carnaval ainda é menor que esse ano”.

Apesar disso, o presidente mantém esperanças de que a prefeitura do Rio de Janeiro, através do prefeito Marcelo Crivella, possa conseguir algo além do orçamento previsto, como ocorreu para o Carnaval 2018. Segundo a Riotur, o Carnaval 2018 do Rio de Janeiro bateu recorde e conseguiu o maior investimento privado da história, cerca de R$ 35 milhões.

“Tudo isso não impede que a prefeitura possa ter empenho para que consiga algo além desse orçamento e, de repente, melhorar a questão financeira, mas é a algo que a gente não tem como ter certeza vendo tudo o que tá acontecendo hoje”, conclui Déo Pessoa.

Fonte: www.srzd.com

sábado, 9 de dezembro de 2017

Vamos começar bem o ano? Então "levanta cedo trata de se preparar, vamos pra Portela que o reino do samba é lá"

Anota aí na sua agenda! A Feijoada da Família Portelense de janeiro já tem data para acontecer e contará com a participação especial da cantora Maria Rita. Você não pode nem pensar em ficar de fora dessa!

Ingressos, mesas e camarotes à venda em www.ingressocerto.com/portela e na bilheteria da quadra.
Ingressos: R$15 (1° lote - limitado)
Mesas: R$110
Camarotes superiores com 15 lugares: R$750
Camarotes inferiores com 15 lugares: R$600