Translate

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Jovem especial abrirá disputa de sambas da Portela

Por Marcos Lodi

Mário Henrique, de 15 anos, foi convidado a compor o samba da escola mirim Filhos da Águia.

Mário Henrique Fagundes Pinheiro de Mattos, de apenas 15 anos, será mais um jovem compositor a realizar sonhos que somente o carnaval proporciona. Portador de uma deficiência mental, diagnosticada na infância, o rapaz, torcedor da azul e branco de Madureira e que há três anos toca tamborim na escola mirim Filhos da Águia, sonhava em escrever um samba entre os grandes compositores portelenses.

E este momento tem data para acontecer: no dia 20 de agosto, próximo domingo, Mário Henrique ouvirá na quadra a obra de sua autoria, abrindo as eliminatórias do concurso que escolherá o samba enredo para 2018. O samba não entrará na disputa, mas a ala de compositores concedeu espaço para que o jovem abra, em grande estilo, as apresentações da primeira chave. Ao todo, duas chaves se apresentarão nesta primeira etapa do concurso.

A mãe Rosinea Fagundes, não esconde o orgulho pelo filho. “É uma verdadeira conquista. Ele leu a sinopse na internet, escreveu o samba, e, no dia da inscrição, entregou uma letra e um CD. Fiquei orgulhosa e contente. Sinceramente não esperava essa repercussão tão grande. O carinho da escola, compositores, intérpretes. Guardarei este momento pelo resto da vida”, afirma a mãe, visivelmente emocionada.

Para que a apresentação seja ainda mais especial, o primeiro time de intérpretes da Filhos da Águia, defenderá o samba. Segundo o presidente da agremiação mirim, Celsinho Andrade, muitas surpresas acontecerão a partir do domingo. “Nossa escola é o embrião da vitoriosa ala da compositores da Portela. São os poetas do futuro que começam aqui. Além de toda a homenagem, o samba do Henrique me surpreendeu com passagens interessantes. Tem muito talento e como nosso samba para 2018 será composto pelas nossos pequenos componentes, o Mário Henrique vai participar deste processo”, ressalta Celsinho.

Presidente do Conselho Deliberativo e integrante da Comissão de Carnaval da Portela, o pesquisador Fábio Pavão ressalta, no caso de Mário Henrique, o amor pelo samba e o papel social de uma agremiação: “O fato de um jovem de 15 anos trazer o seu samba nos deixa animados e muito felizes por saber que, mesmo com tantas transformações musicais, o samba enredo ainda é capaz de despertar estas paixões. O fato de ser portador de necessidade especial também apresenta o aspecto da inclusão, que é uma obrigação das escolas de samba como instrumento social. Muito nos alegra receber o Henrique”, complementa o diretor.












CLIQUE PARA OUVIR OS SAMBAS CONCORRENTES DA PORTELA PARA O CARNAVAL 2018



Portela promove exibição do documentário 'O Rochedo e a Estrela' no dia 26 de agosto

Por GRES Portela

A Portela, através do seu departamento cultural, vai promover mais uma edição do Cine Samba Candeia no dia 26 de agosto (sábado), com a exibição do documentário "O Rochedo e a Estrela", dirigido por Katia Mesel. Em seguida, haverá um debate com a cineasta, o escritor e pesquisador Luiz Antonio Simas, o professor e pesquisador João Baptista Vargens, e Fábio Pavão, integrante da comissão de Carnaval da Portela. O objetivo do evento, que terá entrada gratuita, é oferecer ao público uma visão mais aprofundada sobre temas relacionados ao enredo "De Repente de Lá Pra Cá e Dirrepente de Cá Pra Lá...", da carnavalesca Rosa Magalhães, com o qual a Portela tentará o bicampeonato em 2018.

Produzido e dirigido pela pernambucana Katia Mesel, "O Rochedo e a Estrela" (85 minutos) enfoca o período em que a Holanda dominou Recife, no século XVII, e, ainda, como Mauricio de Nassau foi fundamental ao favorecer uma conjuntura de liberdade religiosa que permitiu a existência de uma comunidade judaica e a fundação da primeira sinagoga das Américas, a Zur Israel. O filme narra também a saga do grupo de judeus que, após a expulsão dos holandeses do Brasil por Portugal, participa da fundação e formação da cidade de Nova Amsterdã (Nova York).

Radiante com o convite do departamento cultural, Katia Mesel fala sobre a expectativa para o evento. "Exibir 'O Rochedo e a Estrela' na quadra da Portela, tendo o mesmo tema que o enredo de 2018, ano que completo cinco décadas de cinema, é para mim mais do que um sonho tornado possível, é um sinal de que a força da liberdade, da tolerância, do acolhimento tudo transforma, e continua atual dentro do nosso desejo de igualdade, harmonia e compreensão. Costumo dizer que o filme não é sobre judaísmo, é sobre a liberdade, é sobre transformação, sobrevivência, êxito, antídoto às rejeições da igreja vigente. Mostrar meu documentário na Portela, no momento em que estão sendo desenvolvidos os primeiros esboços do desfile, me motiva, me faz sentir incluída nessa empreitada coletiva, de uma energia sem par."

Para Rogério Rodrigues, diretor cultural da Portela, o evento é um desdobramento natural do enredo. "Uma das funções do nosso segmento é dar lastro cultural ao tema da escola, compartilhar com a comunidade conhecimento e informações que vão servir para as pessoas, bem como para o componente entender melhor sobre o que se trata a história que ele vai representar na Sapucaí."

Oficina de mestre-sala e porta-bandeira

Horas antes da exibição do filme, a Portela promoverá uma oficina gratuita de dança de mestre-sala e porta-bandeira, ministrada pela Associação Cultural Madureira Toca e Dança, que é presidida por Estelita Silva e coordenada por Waldir Gallo. O trabalho da entidade visa resgatar a tradição na dança dos casais nas escolas de samba e blocos carnavalescos.

Entre 13h e 17h, profissionais como Adilson, Jamelão, Bagdá e Jerônimo da Portela, além de Irene, Poly, Dayane e Regina vão dar aos alunos exemplos de performances em desfile. Mestre Adilson falará, ainda, da teoria do universo da dança, enquanto o professor de educação física Paulo Chupeta dará instruções de técnica corporal e alongamento.

A quadra da Portela fica na Rua Clara Nunes 81, em Madureira.

Serviço:
Aulão gratuito de mestre-sala e porta-bandeira - 13h às 17h
Cine Samba Candeia com o filme 'O Rochedo e a Estrela' + debate - a partir das 17h

Local: Quadra da Portela - Rua Clara Nunes 81, Madureira
Classificação: Livre
Entrada franca

Crédito da foto acima: Divulgação
Legenda: Cena do documentário 'O Rochedo e a Estrela'



Ferrugem e Imaginasamba se apresentam na Portela, neste sábado

Por GRES Portela

O cantor Ferrugem e o grupo Imaginasamba vão se apresentar, neste sábado (19), a partir das 21h, na quadra da Portela, em Madureira. Estourados nas rádios de todo o Brasil, eles prometem proporcionar uma noite inesquecível para os fãs de pagode e música romântica, com dois shows completos.
Abrindo o evento em grande estilo, o Imaginasamba vai mostrar seu novo álbum, "Apaixonado". No repertório, estarão "Dona da Verdade", "Desjejum", "Inconsequentes", "Por Mais de Cem Anos", entre outras. Comandado pelo vocalista Suel, o grupo também cantará hits como "Pretexto", "Você É de Deus", "Quarto de Motel", "1 a 10 (Só Nós Dois) e muitos outros.

Já Ferrugem chega com a turnê do seu mais novo CD, "Seja O Que Deus Quiser", e a nova canção de trabalho, "O Som do Tambor", que já é sucesso em todas as rodas de samba do Rio. O show terá, ainda, as músicas "Eu Sou Feliz Assim", "Um Casal", "Eu Juro" e "Mar de Felicidade", além das consagradas "Climatizar", "Ensaboado", "Namorado" e "Meu Bem".

Bom demais, né? A quadra da Portela fica na Rua Clara Nunes 81, em Madureira. Os ingressos de pista custam a partir de R$ 15. Os camarotes custam R$ 800 (superior, com 15 pulseiras) e R$ 600 (inferior, com 15 pulseiras). Os ingressos estão à venda na bilheteria da Portela e nas lojas South. A classificação é 18 anos. Mais informações 3117-2020 e 97363-1797.

Serviço:
Ferrugem e Imaginasamba na Portela
Data: Sábado, dia 19 de agosto
Horário: A partir das 21h
Local: Quadra da Portela
Endereço: Rua Clara Nunes 81, Madureira

Ingressos
Pista (1º lote): R$ 15
Pista (2º lote): R$ 20
Pista (3º lote): R$ 25
Área vip: R$ 30
Jirau: R$ 30
Camarote superior (para 15 pessoas): R$ 800
Camarote inferior (para 15 pessoas): R$ 600

Classificação: 18 anos
Informações: (21) 3117-2020 / 97363-1797
Bilheteria da Portela: de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h

Vendas pela internet
http://www.aloingressos.com.br/20170819__ferrugem_e__imaginasamba_ao_vivo_19082017_2100/p



Escolas de samba podem ser beneficiadas em conta de água; entenda

Por Redação SRZD

A Alerj vota nesta quarta-feira (16), em plenário, um projeto de lei que pode conceder o benefício da tarifa social de água, mantido pela Cedae, a escolas de samba e clubes desportivos de bairro.

De acordo com o texto do projeto do deputado Chiquinho da Mangueira, presidente da verde e rosa “a tarifa social aplica-se somente aos grêmios e clubes sócio-recreativos que facilitem o acesso à iniciação da prática esportiva e divulgação do esporte-educação como formação das pessoas”, ou seja, para agremiações que promovam práticas esportivas

O deputado afirma na justificativa do projeto que vão se beneficiar da legislação os clubes de bairro e “as agremiações de cunho popular que se caracterizam pelo canto e dança do samba, quase sempre com intuito competitivo” e destaca que “as escolas de samba, sempre estão envolvidas em projetos sociais para beneficiar os moradores das comunidades a que pertencem”.

O projeto não encontra oposição entre as bancadas da Alerj. Chiquinho nega que o projeto tenha surgido a partir da penúria financeira das escolas. Ao jornal “O Globo”,
ele afirmou que as escolas de samba hoje “fazem papel de escolas e clubes esportivos” e que a conta de água da Vila Olímpica da Mangueira, por exemplo, é paga junto com a da escola.

Segundo Jorge Castanheira, presidente da Liesa, está “difícil” para as agremiações pagarem a conta de luz. Segundo o comandante da maior entidade gestora do Carnaval
carioca, de dezembro a fevereiro, meses de pico na preparação para os desfiles, a conta de água de uma escola varia entre R$ 20 mil e R$ 25 mil mensais.

Atualmente, a tarifa social beneficia cerca de um milhão de pessoas, entre moradores de favelas, conjuntos habitacionais populares e habitações sociais.


Fonte: www.srzd.com

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Três empresas apresentam propostas para patrocinar o Carnaval 2018 do Rio de Janeiro

Por Guilherme Ayupp

A Riotur abriu na tarde desta terça-feira os envelopes do chamamento público para obtenção de cotas de patrocínio para realização do Evento “Carnaval do Rio 2018” em diversos locais espalhados pela cidade no Rio de Janeiro. O site CARNAVALESCO apurou que três empresas apresentaram propostas. A única já aprovada foi a Antarctica, que pegou a quota de R$ 8 milhões, através da AMBEV.

Duas empresas ainda terão que ser analisadas pelo jurídico da Riotur. A Uber indicou, via Lei Rouanet, a quota de R$ 10 milhões, e a Dream Factory, que até o Carnaval 2017 administrava o carnaval de rua dos blocos, ofereceu mais de R$ 74 milhões por três, ou seja, R$ 24 milhões por ano, mas no escopo idêntico ao caderno de encargos da Riotur para o Carnaval 2017, sendo a responsável por todo o carnaval de rua da cidade.

Agora, outras empresas interessadas também podem participar, mas sem o chamamento público, procurando diretamente a Riotur. Vale lembrar que os valores não são para os desfiles, mas para todo o evento chamado pela Riotur de Carnaval de Rio 2018.

Em entrevista ao CARNAVALESCO, Marcelo Alves, presidente da Riotur, explicou e comemorou o resultado do chamamento.

– Uma vitória do carnaval. As marcas aceitaram. Três propostas. Uma aprovada e as outras duas estão sendo analisadas pelo jurídico. Vamos incrementar ainda mais a receita. Todos ganham. Estamos vivendo momento econômico difícil. Antecipamos o chamamento, pois são negociações duras – disse Marcelo Alves.

Foram disponibilizadas para aquisição dos proponentes 13 quotas de patrocínio, divididas nas seguintes modalidades: patrocinador apresentador do carnaval (1 quota de R$ 20 milhões); patrocinador oferecimento do carnaval (2 quotas, cada uma de valor igual ou maior que R$ 8 milhões); patrocinador do carnaval (dez quotas, cada uma de valor igual ou maior que R$ 2 milhões).